A arte é uma forma de devoção.

O artista costura um pouquinho da sua alma e da sua essência em cada obra: um pouco de cor, um pouco de dor. Machuca, essa entrega. São pés doloridos de dançar, voz rouca do canto, dedos cortados pelas cordas finas de um violão. Sentimentos que transbordam em palavras e se tornam ainda mais reais para quem escreve. Uma cena interpretada com tanta verdade que fere o espírito junto com o corpo. A arte é, também, prazer. É o arrepio delicioso na espinha, é ter os olhos marejados de lágrimas compartilhadas. É viver, reviver, experimentar, aprender.

A arte é a alma do mundo: que esse tempo isolados, presos em nós mesmos, nos ensine também mais essa valiosa lição: de nada vale uma sociedade globalizada, economicamente estável, livre, sem artistas que possam embalar nossos sonhos quando tudo está bem e transformar nossos pesadelos em beleza quando tudo é caos.

Os poemas nesse livro são arte criada em tempos difíceis – tempos que precisam ser lembrados; tempos de perdas devastadoras, mas também de descobertas e reencontros: pequenos sortilégios viajando no vento, se entremeando e costurando na tapeçaria complexa dos últimos anos.

Sortilégios

SKU: 0033
R$ 45,00Preço